Coordenação: Italo Diblasi; Lolita Guerra; Rennan Lemos.

A dança dos sátiros na montanha. O fogo roubado que incendeia a espécie. Vinho & vapores. Cidades frequentadas por deuses, daimons e… humanos. As experiências religiosas politeístas sempre nos apresentaram cenários em que, coletiva ou individualmente, os sujeitos se colocaram em situações-limite do ponto de vista de sua própria constituição, mesmo no caso das religiões cívicas, como nos mostrou Vernant em mais de uma ocasião. Estamos diante de fendas do cotidiano abertas em direção a um real insubmisso às artificiais categorias diferenciadoras do tempo, do espaço, de matérias, sons e colorações, do próprio e do outro.